Engenharia do Conhecimento e as Tecnologias de Informação e Comunicação

murro-em-faca

Atualmente a Gestão do Conhecimento (GC) vem se tornando um assunto cada vez mais discutido nas organizações.  Já é consenso nas empresas a importância de gerir o conhecimento organizacional, com o intuito de criar valor em produtos e serviços, bem como, proporcionar melhoria de processos de gestão de projetos e pessoas.

Assim, quando surge a necessidade de alinhar a GC com as tecnologias de informação e comunicação (TIC), usualmente os gestores organizacionais decidem por entregar tais demandas para o setor de Tecnologia de Informação(TI).

Contudo, é preciso compreender que as TICs sozinhas não conseguem atender as demandas da Gestão do Conhecimento.

As TICs  evoluíram dos processos operacionais, passaram a apoiar as atividades gerenciais, e somente mais recentemente dão suporte estratégico. Diante disso, os profissionais com formação tecnológica em TICs têm conhecimentos metodológicos em engenharia de software e sua tradução de demandas da GC será em soluções de sistemas de informação.

Apesar das TICs serem fundamentais para informatizar a GC, elas sozinhas não oferecem as soluções de conhecimento que a GC necessita, pois os métodos e metodologias dos sistemas de informação foram projetados para modelar atividades operacionais e não para a estratégia organizacional.

Quando a GC busca apoio tecnológico somente nas TICs, há o risco de que a solução seja encaminhada a um sistema de informação ou a um sistema de inteligência artificial, o que não atenderá integralmente a sua demanda.

Com o intuito de preencher tal lacuna, surgiu a partir dos anos 2000, uma nova ciência para apoiar a concepção e criação de sistemas de conhecimento de apoio à GC, a Engenharia do Conhecimento (EC).

A EC é munida de métodos, técnicas, e metodologias que contemplam a modelagem e o mapeamento das três dimensões da GC: processos, pessoas e tecnologia, e não somente a tecnologia de informação, como ocorre com a TICs.

A EC contemporânea, oferece como produto os sistemas de conhecimento, que necessitam e interagem com sistemas de informação (como agentes), ao mesmo tempo em que se diferenciam desses tipos de sistemas.

Sistemas de conhecimento possuem perfil estratégico, orientados ao contexto organizacional e suas prioridades, e são integrados a cultura da empresa de forma sistêmica.

No Quadro abaixo vemos um comparativo dos dois tipos de sistemas, o de informação e o de conhecimento, suas bases e finalidades.

comparativo

Figura retirada do Texto de Roberto Pacheco e Denilson Sell

Assim, da próxima vez que você pensar em soluções para Sistemas de Gestão do Conhecimento lembre-se que existe uma ciência especializada para atender esse tipo de sistema, a Engenharia do Conhecimento.

Este texto foi baseado no material didático da disciplina de Métodos e Técnicas de Engenharia do Conhecimento dos Professores Roberto Pacheco e Denilson Sell.

 

Be the first to comment on "Engenharia do Conhecimento e as Tecnologias de Informação e Comunicação"

Leave a comment

Your email address will not be published.

*


Solve : *
21 − 20 =