Redes de trabalho e conhecimento – relato SIBRATEC

arquitetura-sibratec
Redes de trabalho e conhecimento são mecanismos para avançar na construção de serviços e de saberes de determinados grupos que se unem com o objetivo de criar valor mútuo. A técnica de trabalho em rede é uma eficiente ferramenta para a construção de conhecimento, valoriza tanto as contribuições acadêmicas, como as experiências das comunidades locais (não acadêmicas). Uma rede de trabalho também é uma forma de apropriação de tecnologias adequadas, adaptadas ao uso dos integrantes, que se utilizam de sistemas de comunicação próprios. Uma rede mobiliza atores e democratiza a disseminação de resultados.
O trabalho em rede / as redes de trabalho, portanto, geram conhecimento que terá valor econômico para um grupo de pessoas.
Nesse contexto, o Sistema Brasileiro de Tecnologia (SIBRATEC) vêm efetivando ao longo dos últimos anos apoio para o andamento de trabalhos em rede e geração de conhecimento. Operado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), realizado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), e desenvolvido pelo Instituto Stela, o SIBRATEC é um instrumento de articulação e aproximação da comunidade científica e tecnológica com as empresas.
O SIBRATEC visa apoiar o desenvolvimento tecnológico das empresas brasileiras e melhorar a qualidade dos produtos disponibilizados nos mercados interno e externo, dando condições para o aumento da taxa de inovação dessas empresas. Nesse sentido, o SIBRATEC contribui para o aumento do valor agregado de faturamento, produtividade e competitividade no mercado. 

A demanda pela gestão das informações do Programa SIBRATEC teve início em agosto de 2010, quando representantes do programa reuniram-se no CGEE para apresentar as necessidades de informações gerenciais de seus tomadores de decisão. O objetivo era analisar a possibilidade de o Portal Inovação poder ser ampliado para tratar destas necessidades.

Inicialmente, previu-se a possibilidade de que os sistemas de gestão do SIBRATEC pudessem ser fruto da inclusão de um novo ator no Portal Inovação: o ator redes de atores de inovação. Com isso, além do SIBRATEC, programas como o Programa para o estabelecimento de Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia – INCTs e futuras ações de fomento às redes poderiam ser beneficiados dos novos recursos que seriam desenvolvidos no Portal.

O objetivo do desenvolvimento do SIBRATEC era, portanto, pesquisar e estabelecer um conjunto de sistemas de informações estratégicas, na forma de recorte setorial ao Portal Inovação, para apoiar a tomada de decisões no Sistema Brasileiro de Tecnologia – Programa SIBRATEC, do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). Assim, foi desenvolvido um sistema piloto para gestão do SIBRATEC, que permitia aos atores do programa informar dados e obter informações estratégicas.
A ampliação do Portal Inovação com o recorte para o Programa SIBRATEC atendeu as seguintes necessidades:
(i) gestores do Programa SIBRATEC, nos níveis de gestão da FINEP e do MCT, nos três centros do Programa. Esses gestores tiveram acesso a um ambiente com informações analíticas sobre o programa, a partir do site do recorte desenvolvido;
(ii) coordenadores e integrantes de redes SIBRATEC, nos três centros do programa. Trata-se dos atores de inovação registrados no Portal Inovação (como representantes de ICTIs ou de UIPDs) que inserem as informações de registro de sua rede e respondem o questionário survey de acompanhamento do programa das redes SIBRATEC. Os coordenadores de redes também acessam informações analíticas que auxiliam na tomada de decisão no nível da rede;
(iii) empresas atendidas pelas redes. Conforme informação indicada pela liderança da rede, as empresas selecionadas como usuárias dos serviços da rede têm acesso às informações que as redes indicam sobre o seu atendimento no programa.
Nessa perspectiva, e com o uso da base de dados do Portal Inovação, o sistema desenvolvido possui uma arquitetura de informação criada a partir de técnicas de Engenharia do Conhecimento.
Na arquitetura conceitual, ilustrada na Figura 1 abaixo, é possível  visualizar as diversas camadas de informações, que conectadas produzem o conteúdo da plataforma tecnológica, das quais destacamos:
  • Dados e informações provenientes do Portal Inovação, que alimentam os registros dos grupos, especialistas, agentes, Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) e empresas que formam as redes de trabalho do SIBRATEC.
  • Dados e informações provenientes das redes de trabalho, que registram os serviços realizados para as empresas, além dos registros de administração da própria rede.

A partir desse conteúdo, o sistema realiza operações analíticas que produzem gráficos, os quais por sua vez apoiam a tomada de decisões dos órgãos governamentais. arquitetura-sibratec

 Figura 1 – Arquitetura conceitual do SIBRATEC
Fonte:retirada dos documentos de desenvolvimento do SIBRATEC – Instituto Stela.
 A arquitetura conceitual do sistema foi criada para atender às demandas da gestão do conhecimento das redes que fazem parte do SIBRATEC. Em posse do conhecimento disponibilizado no sistema é possível planejar diversas ações públicas de apoio à inovação.
 O sistema também é direcionado pela demanda empresarial, pois busca atender às necessidades de desenvolvimento tecnológico e implantar uma cultura da inovação nas empresas brasileiras, principalmente micro e pequenas, conforme ilustra a Figura 2 abaixo.

sibratecFigura 2 – Modelo de inovação do SIBRATEC.
Fonte:retirada do Website do SIBRATEC

Sob a perspectiva da inovação, desde 2013 o SIBRATEC apoia serviços tecnológicos (atividades para superar as exigências técnicas do mercado), que são oferecidos por meio de Redes Temáticas. Essas redes destinam-se a apoiar as empresas quanto à infraestrutura de serviços da conformidade, tais como ensaios e calibrações, para normalização e regulamentação técnica. A rede que compõe os serviços tecnológicos é hoje formada por 18 sub-redes, que juntas abrangem mais de 390 laboratórios.

Assim, as empresas que necessitam realizar ensaios e calibrações acionam esses laboratórios, os quais prestam serviços na área de interesse dessas organizações.
As informações sobre as redes, como ensaios e calibrações realizadas, são disponibilizadas no SIBRATEC semestralmente, para que os gestores públicos as transformem em insumos para a tomada de decisões sobre fomento e gestão.
Dessa forma, por meio do SIBRATEC e das redes de trabalho e conhecimento, as empresas ganham agilidade na aquisição de serviços essenciais aos seus negócios, e os laboratórios se aproximam das empresas, oferecendo sua infraestrutura e know-how que geram inovação e valor no mercado.
Texto elaborado com base no Website do SIBRATEC, na entrevista com pesquisador José Leomar Todesco e em documentos de pesquisa e desenvolvimento do SIBRATEC, disponibilizados pelo Instituto Stela.
 Citação do artigo:
INSTITUTO STELA. Redes de trabalho e conhecimento - relato SIBRATEC. Pesquisadores: Roberto C.S. Pacheco, José Leomar Todesco e Viviane Schneider. Florianópolis, outubro de 2016. Blog do Instituto Stela. Disponível em: <http://blog.stela.org.br/?p=227>. Acesso em: dia, mês, ano.

Be the first to comment on "Redes de trabalho e conhecimento – relato SIBRATEC"

Leave a comment

Your email address will not be published.

*


Solve : *
28 × 17 =